quinta-feira, 23 de julho de 2015

Vendendo meu CRA

Bom dia Pessoal,

Dando sequência na ideia de informar as movimentações que venho fazendo nos meus investimentos, estou efetuando hoje a venda do CRA que comprei no final de Junho.
Esse CRA foi adquirido (fiz uma postagem sobre a compra aqui no blog) pois a taxa estava acima do que o mercado vem trabalhando e também porque possuí liquidez diária. Como já fiz esse mesmo movimento no ano passado, tinha uma previsão do que iria acontecer. Quando compra-se algum título (principalmente na emissão) onde a rentabilidade está acima do que o mercado vem oferecendo, com o passar de algum tempo, as negociações de venda desse investimento passam a ter um prêmio (ágio) para quem vender, pois a diferença será um extra.
Finalizei a venda agora de manhã obtendo um rendimento líquido de 2,20% em 20 dias. Para alguns pode parecer pouco, mas considero que foi um trade planejado e que deu o resultado esperado. Como o financeiro envolvido era significativo, para mim valeu a pena.
Vou aproveitar a alta dos juros futuros de hoje, causado pelas manobras fiscais do governo e aplicarei esse recurso em NTN-Bs de vencimento longo.
Abraço e bons investimentos a todos.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

"Um barco no porto está seguro, mas não é para isso que ele foi feito."

Bom dia pessoal,

A frase no título dessa postagem não é de minha autoria, mas achei interessante e dentro do assunto que gostaria de abordar hoje.
Na verdade, na npossa comunidade vejo um esforço muito grande dos colegas investidores em buscar no mercado remunerações melhores possíveis para seus investimentos, portanto a frase acima de forma alguma se aplica a eles.
O ponto que quero chegar é que toda a vez que eu posto alguma aplicação em renda fixa digamos diferenciada, recebo muito mais comentários negativos do que positivos. É sabido que não existe almoço grátis no mercado financeiro, mas será que não vale a pena uma diversificação? Nunca saberemos se o banco, financeira ou empresa em que estamos colocando nosso $ é 100% séria, mas nunca teremos como saber.
Achei uma postagem de Novembro do anos passado onde comentei que estava aplicando em um CRA que remunerava IPCA + 9% ( isento de IR). Recebi vários comentários negativos fora os e-mails. Eu posso dizer que apliquei naquele produto e peguei toda essa alta do IPCA que tivemos.
Inclusive esse mesmo ativo já está começando a amortizar, ou seja, está honrando com as obrigações.
Não quero dizer que estou sempre certo ou que só as coisas que eu faço estão corretas, mas acho que muitos podem  pensar em tirar o barco do porto.

Abraço e bons investimentos a todos.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Vendendo parte dos FIIs

Olá Pessoal,

Cada dia que olho para as cotações da maioria dos FIIs subindo, vejo menos razão para tal (não, eu não gosto dos pessimistas de plantão). Nossa economia não está indo muito bem e não precisa ser nenhum estudioso para perceber isso.
Pois bem, voltando ao foco principal, gosto muito dos meus investimentos em FII, porém pela oscilação que eles proporcionam entendo que os ganhos devam ser superiores aos da renda fixa. não existe uma matemática para esse valor, mas entendo que precisa ser no mínimo 10-15% a mais. Como hoje eu consigo vender e realocar em renda fixa rendendo bem, estou realizando parte da carteira. Pretendo voltar a comprar essas cotas que estou vendendo, mas não sei ainda quando vai ser isso.
Estou vendendo/vendi HGRE, HGLG, FCFL e MAXR.
Vou especular um pouco em RF apostando numa queda dos juros futuros nos próximos meses.
Vamos ver se funciona.

Não recomendo que façam o mesmo. Apenas estou informando os movimentos das minhas economias.

Abraço

sexta-feira, 3 de julho de 2015

O que e uma "476"?

Bom dia Pessoal

Faz um tempo que queria comentar sobre esse assunto com vcs e tinha esquecido.
Quem gosta e se interessa, sabe que o mundo de renda fixa vai muito além de LCI e LCA.
Tenho visto muitos colegas da nossa comunidade já aplicando em ativos menos conhecidos do público em geral como CRIs, CRAs e debêntures. Sabidamente, quem aplica nas emissões consegue normalmente taxas melhores, pois não há o spread do mercado secundário. Para termos uma ideia, recentemente vieram ao mercado emissões de debentures da Salus e AGRU, CRAs da Raízen e Suzano. Para ter acesso a esses produtos precisa ter conta num banco e/ou corretora que frequentemente participe das emissões. Quanto maiores as instituições, mais ela participará.
Há entretanto um outro mercado de emissões mais restrito e ainda mais interessante. Trata-se das chamadas "476". Isso nada mais é que uma modalidade onde o emissor opta por uma forma mais econômica de distribuição. Nesse caso (chamado de distribuição com esforços restritos) os bancos e corretoras tem um número limitado de clientes para ofertar e somente 50 investidores em todo o país podem investir nesse papel. Obviamente não é qualquer investidor que pode participar e os mínimos para se aplicar são muito mais altos.
A grande "jogada" é que passados 90 dias da emissão (tempo que esse não pode ser negociado) o investidor revende ativos para o varejo em lotes bem menores e com uma taxa de remuneração menor. Com isso tem-se um ganho extra, que muitas vezes é bem significativo. Esse é o famoso "quem tem dinheiro faz dinheiro" e é por isso que devemos dar muito valor ao que ganhamos, pois quanto mais temos disponível, melhores são os produtos que podemos acessar.

Abraço e bons investimentos a todos

terça-feira, 30 de junho de 2015

Títulos Públicos - Tesouro Direto

Olá Pessoal,

Primeiramente gostaria de me desculpar com os eventuais leitores que acompanham esse blog pela simplicidade das postagens. Quem está comigo há mais tempo sabe que não curto muito escrever e geralmente meus textos não são de agradável leitura.
Como temos outros colegas na nossa comunidade que fazem isso muito melhor que eu (soulsurfer e corey por exemplo) sinto-me menos pressionado em ser didático.
Meu foco sempre foi e será tentar trazer alguma novidade que me é oferecida ou que entendo que seja válida dividir com os demais, bem como alguma questão relevante que não foi discutida entre os demais da nossa comunidade.

Pois bem, pulando essa parte, recebi hoje de manhã um e-mail que lembrou de um assunto que queria dividir com vcs. A cobrança semestral do Tesouro Direto.
Tenho visto muitos novos investidores aplicando em Títulos Públicos. Acho isso super válido pois (se feito corretamente) tem-se ganhos bons com praticamente nenhum risco. Não vou aqui entrar no mérito de quais títulos existem no mercado e como eles funcionam.
O que eu quero trazer a tona é que existem 2 formas de se investir em títulos públicos. A primeira e mais tradicional é o Tesouro Direto enquanto que a outra é no mercado secundário (ainda pouco usado). Um ponto relevante entre essas 2 é o fato de que quando investimos no TD, os ativos são custodiados na BVMF pois essa tem uma "parceria" para esse serviço. O grande ponto é que essa "parceria" custa incríveis 0,3% aa do investidor! Soma-se a isso taxas de compra e liquidação e ainda o agente de custódia (corretora a que o cliente está vinculado) que em alguns casos cobrará mais 0,3% aa. Pelo que andei lendo, poucos sabem disso.
Comprando-se no mercado secundário não temos a cobrança dessas taxas e com isso a rentabilidade contratada (um pouco menor que no TD) passa a ser a real.
Procurando em vários sites, vi que a corretora onde invisto tem a menor taxa de custódia que é de 0,10% (para TD).
Sugiro aos que possuem TD que avaliem as taxas que estão pagando e aos que vão iniciar os investimentos que comparem antes de investir.

Caso tenha esquecido de algum ponto, fiquem a vontade para contribuir.

Abraço a todos

terça-feira, 23 de junho de 2015

101% do CDI sem IR e com liquidez

Olá Pessoal

Recebi vários e-mails de leitores e colegas da nossa "comunidade" questionando mais informações sobre algumas opções de investimentos que postei e pedindo para continuar mostrando o que me é oferecido.
Pois bem, nessa linha me foi ofertado essa semana uma aplicação que achei válida dividir com vcs. Trata-se de um CRA que remunera 101% do CDI. Como sabemos os CRAs não possuem IR. Até aí nada de muito especial, porém o que achei interessante é que o mínimo de aplicação é bem baixo (múltiplos de R$ 1.000,00) e esse investimento possui liquidez.
Comparado com os irmão de mesmas características, essa opção se torna interessante.

Abraço e bons investimentos a todos.

terça-feira, 16 de junho de 2015

União das sardinhas

Olá Pessoal,

Estou aqui para comentar sobre um ponto que considero interessante e até agora não vi nada escrito sobre isso.
Nos últimos dias tive algum tempo livre e tirei algumas horas para conversar e passar um período com o pessoal que me assessora. Aproveitei para entender mais como funciona algumas dinâmicas de Renda Fixa e questionei também o porquê eles tem LCs enquanto que outros escritório da mesma corretora não (recebi vários e-mails comentando sobre isso).
A resposta que tive vem de encontro com o título dessa postagem. Fazendo um paralelo com o mercado de ações, se temos um papel com pouca liquidez e um volume grande de pessoas compram num período curto de tempo, há (obviamente) um aumento do preço. Ou seja, a união faz a força. Porém sabemos que na prática não é tão simples.
Pois bem, em algumas situações, a renda fixa permite isso. Digo isso pois vi acontecendo na prática.
Quando o escritório possui um volume financeiro maior e consegue "juntar" essas ordens de compra ou venda, consegue-se preços muito melhores que os obtidos com ordens pequenas isoladas. E por incrível que pareça, essa diferença faz muita diferença.
Outro ponto é que esses escritórios que conseguem bons volumes, são as vezes "recompensados" com algumas ofertas. Na verdade é meritocracia. Quem consegue gerar volume, fruto de trabalho, tem benefícios.
Vejo muitos colegas na nossa comunidade se esforçando muito para trabalhar e juntar $, porém as vezes não tem acesso aos melhores investimentos por escolher corretoras ou escritórios mais baratos ou por querer investir sozinhos. Não estou dizendo que um está certo ou que outro está errado. Quero apenas trazer um ponto para pensarmos a respeito.

Abraço e bons investimentos a todos